Características de hardware do ESP32: Pino, conversor e processador

O ESP32, concebido pela Shanghai Espressif Systems, é um microcontrolador de baixo custo e baixo consumo de energia, amplamente utilizado na Internet das Coisas (IoT) e em sistemas incorporados. Neste artigo, a FS Technology discutirá as características de vários módulos de hardware do ESP32.

ESP32 Tipo de pino

Pinos digitais GPIO

Os pinos GPIO digitais permitem alternar entre o nível alto (3,3 V) e o nível baixo (0 V), proporcionando a conveniência de executar tarefas simples, como iluminar LEDs, detetar o estado de sensores digitais (como interruptores) e controlar relés. Isto torna-os a escolha ideal para lidar com tarefas digitais quotidianas. Precisa de ligar um sensor digital e compreender a sua funcionalidade? Estes pinos podem tratar disso facilmente. Quer fazer um LED piscar ao seu ritmo? Basta ligá-lo a um pino de saída digital.

Pinos GPIO analógicos

Os pinos GPIO analógicos são utilizados para conversão analógico-digital (ADC), permitindo-lhe ler sinais analógicos de sensores como sensores de luz, sensores de temperatura ou potenciómetros. Os pinos GPIO analógicos são particularmente importantes quando é necessário medir sensores que fornecem níveis de tensão contínuos. Eles podem converter esses sinais analógicos em valores digitais para processamento posterior.

Pinos PWM

Os pinos PWM geram sinais modulados por largura de pulso, que são valiosos para controlar dispositivos como servos, motores e LEDs reguláveis. Os pinos PWM são utilizados quando é necessário controlar a intensidade ou a posição de um dispositivo que aceita sinais PWM. Por exemplo, pode utilizar PWM para controlar a velocidade de um motor DC ou o brilho de um LED.

Pinos I2C

Os pinos I2C (Inter-Integrated Circuit) permitem-nos uma comunicação bidirecional com dispositivos compatíveis com I2, como sensores, ecrãs e relógios em tempo real. Os pinos I2C são mais frequentemente utilizados quando se pretende ligar ou trocar dados com vários dispositivos I2C de uma forma linear. Isto simplifica a interface com vários sensores e periféricos.

Pinos SPI

Os pinos da Interface Periférica Serial (SPI) desempenham um papel crucial na obtenção de comunicação serial de alta velocidade com dispositivos como monitores, módulos de memória e outros microcontroladores. Para aplicações que requerem uma transferência rápida de dados entre o ESP32 e dispositivos externos, especialmente na troca de dados em tempo real, os pinos SPI são particularmente essenciais.

Pinos UART

Os pinos UART têm a função de suportar comunicação serial assíncrona, abrangendo conexões com dispositivos como módulos GPS, módulos Bluetooth e outros microcontroladores. Quando a sua aplicação requer a transferência de dados com dispositivos que utilizam comunicação em série, os pinos UART demonstram uma praticidade significativa.

Pinos de interrupção

Os pinos de interrupção podem gerar interrupções quando ocorrem eventos específicos, tornando-os adequados para aplicações que requerem capacidade de resposta em tempo real. Estes pinos são utilizados em cenários em que é necessária uma ação imediata em resposta a eventos, como a deteção de bordos ascendentes ou descendentes na entrada do sensor.

Conversor ADC

O ADC, abreviatura de Analog to Digital Converter, desempenha um papel crucial no domínio dos microcontroladores, convertendo sinais analógicos (como flutuações de tensão) em dados digitais compreensíveis e processáveis pelo microcontrolador. Os sinais analógicos são contínuos, variando os valores de tensão, e a função do ADC é transformar esta continuidade numa série de valores digitais finitos específicos.

As motivações para a utilização de ADC abrangem vários aspectos:

Integração de sensores:

Muitos sensores, incluindo sensores de temperatura, sensores de luz e acelerómetros analógicos, produzem saídas analógicas. A presença do ADC permite que o microcontrolador se ligue a estes sensores e converta as suas leituras analógicas em valores digitais para processamento subsequente.

Aquisição de dados:

Em aplicações como o registo de dados, os sensores e dispositivos externos geram sinais analógicos. O papel do ADC é capturar, registar e analisar estes dados em formato digital, proporcionando uma maior operacionalidade para a aplicação.

Processamento de sinais:

No processamento de áudio e vídeo, o ADC é crucial. Converte formas de onda contínuas em sinais digitais, que são mais fáceis de processar, transmitir e manipular.

Entrada do utilizador:

Em aplicações com potenciómetros, joysticks analógicos ou controlos deslizantes, o ADC é responsável pela conversão da tensão analógica ajustada pelo utilizador em valores digitais para controlar vários parâmetros no sistema.

Relativamente ao ADC no ESP32, a sua resolução de 12 bits significa que pode representar a tensão analógica como valores digitais que variam entre 0 e 4095, proporcionando uma conversão de sinais analógicos de alta precisão. A sua gama de tensões situa-se entre 0 e 3,3 volts, correspondendo à sua tensão de funcionamento, o que o torna adequado para vários sensores e dispositivos. O número de canais pode variar entre os modelos de placas ESP32, mas normalmente varia de 18 a 36, permitindo que o microcontrolador faça a amostragem de dados de várias fontes analógicas simultaneamente.

A taxa de amostragem é outro fator crítico, e o ADC do ESP32 oferece diferentes taxas de amostragem, dependendo do detalhe de cada amostra, variando de kilohertz a megahertz. Isto também depende do modelo da placa ESP32 e da sua configuração.

Em termos de precisão e sensibilidade, a resolução de 12 bits proporciona uma conversão de sinal analógico altamente precisa, tornando o ESP32 valioso em tarefas como deteção ambiental, processamento de áudio e monitorização industrial.

Relativamente à tensão de referência, o ADC do ESP32 pode utilizar uma tensão de referência interna ou externa, sendo que a escolha afecta a gama e a precisão das leituras do ADC. As referências internas são geralmente adequadas para a maioria das aplicações, mas as referências externas podem ser utilizadas para requisitos de precisão específicos.

Finalmente, através da configuração e controlo do software, o ADC do ESP32 permite configurações personalizadas de acordo com os requisitos do projeto, incluindo modificações na resolução, atenuação e canais de entrada, entre outros parâmetros.

Processador de núcleo duplo ESP32

O motor do ESP32 está equipado com um processador dual-core Tensilica Xtensa LX6, meticulosamente concebido pela Cadence Design Systems, proporcionando um desempenho robusto e versatilidade. A arquitetura Xtensa é altamente estimada pela sua eficiência e flexibilidade, tornando-a a escolha preferida para sistemas incorporados e aplicações IoT. Ambos os núcleos do processador ESP32 podem funcionar a velocidades de relógio até 240 MHz, e este design dual-core permite a execução simultânea de várias tarefas, particularmente adequado para aplicações em tempo real.

Uma caraterística proeminente do processador ESP32 é o seu design dual-core, que permite ao microcontrolador lidar com várias tarefas em simultâneo. Um núcleo é dedicado a tarefas específicas, enquanto o outro gere processos em segundo plano, melhorando significativamente a capacidade de resposta global do sistema. O núcleo Xtensa LX6 foi concebido para melhorar a eficiência energética, conservando eficazmente a energia quando se encontra nos modos inativo ou de baixo consumo, aumentando assim a duração da bateria. Isto torna o ESP32 uma escolha ideal para dispositivos alimentados por bateria. A inclusão do VFPU melhora as capacidades de processamento matemático do ESP32, o que é benéfico para aplicações que requerem cálculos complexos, como o processamento de sinais ou a análise de dados. Além disso, o Xtensa LX6 suporta instruções multimédia, permitindo o tratamento eficiente de tarefas de áudio e vídeo. Isto é particularmente valioso para aplicações que requerem streaming multimédia de alto desempenho ou reconhecimento de voz.

Blogues relacionados

Gostaríamos muito de ouvir a sua opinião